Olimpíadas

Assim como Sheilla, capitã Fabiana anuncia aposentadoria da Seleção Brasileira



A derrota para a China nas quartas de final do vôlei, nos Jogos Olímpicos do Rio 2016, realmente afetou as bicampeãs olímpicas. Depois de a oposto da Seleção Brasileira, Sheilla Castro, anunciar a aposentadoria na madrugada desta quarta-feira, foi a vez da capitã do time, Fabiana Claudino, se despedir.

Por meio das redes sociais, a central agradeceu o apoio da torcida ao longo da carreira e exaltou o desempenho da equipe, dando a notícia de que esta foi sua última participação junto à Seleção. “Fica aqui minha despedida da seleção, foram 13 anos de uma trajetória linda e que me orgulha demais”, disse em um trecho da publicação.

Aos 31 anos, Fabiana defendeu o Brasil por 13 anos e conquistou a medalha de ouro nas edições de 2008, em Pequim, e de 2012, em Londres, quando foi eleita a melhor bloqueadora das Olimpíadas.

Desta forma, o futuro do vôlei brasileiro fica em aberto. O técnico Zé Roberto Guimarães, comandante da Seleção feminina desde 2003, evitou projetar um próximo ciclo olímpico, assim como a ponteira Jaqueline que, aos 32 anos, também já tem no currículo duas edições dos Jogos.

A derrota para as chinesas por 3 sets a 2, com parciais de 15/25, 25/23, 25/22, 22/25 e 15/13, acabou com o sonho do tricampeonato olímpico, que seria ainda mais especial por ser sediado em casa, no Rio de Janeiro. Na semifinal, a equipe que eliminou as brasileiras encara a Holanda, nesta quinta-feira, às 22h15 (de Brasília). A outra disputa por uma vaga na decisão será entre Estados Unidos e Sérvia.

Confira na íntegra a mensagem de despedida da capitã Fabiana:

O sonho que terminou hoje, foi sonhado durante 4 anos. Acabou assim, infelizmente… Queria muito poder trazer isso pra todos vocês. Não deu. Está doendo muito, porque sei que todos vocês sonharam comigo esse desfecho de um tri olímpico. A dor desse momento me faz relembrar toda uma vida dedicada ao meu país e ao esporte que tanto amo. Foram 4 olimpíadas, muitos títulos, derrotas dolorosas, alegrias incontáveis e choros que machucaram. Minha trajetória começou aos 14 anos, era uma menina que jamais sonhava conquistar tudo que conquistou. Aos 19 minha, primeira olimpíada em Atenas 2004. E daí por diante foram muitas graças recebidas através de muita dedicação, abdicação e luta! Agradeço às meninas que me acompanharam nesse sonho, a comissão por nos orientar e treinar sempre! Entendam de coração aberto que ninguém perde porque quer e esse grupo queria muito! Só quem vive dentro da quadra, sabe o que acontece ali. Essa equipe é aguerrida demais! Tenho um orgulho imenso de ser capitã da seleção e de carregar essa camisa e essa bandeira por todos os lugares que passei. Agradeço a Deus, mesmo que Seus planos não sejam meus e não posso contestar. Agradeço a minha família, meus pais queridos, meus amigos, meu namorado @vinigram e aos torcedores, acreditem, sempre foi por vocês! Meu coração sempre pulsará verde e amarelo e nunca deixará de bater emocionado, toda vez que tocar o hino nacional. Obrigada a todos por tudo! Fica aqui minha despedida da seleção, foram 13 anos de uma trajetória linda e que me orgulha demais. Foi gratificante em meu último jogo pelo meu país, escutar o Maracanãzinho lotado gritar meu nome, e essa sensação e esse brilho que nós todas tivemos até aqui, ninguém pode desmerecer ou apagar! Um beijo do meu tamanho e obrigada mais uma vez a todos! Fiquem com Deus!

Autor: Redação Ferreguion

Tecnologia do Blogger.