Handebol

Brasileiras reconhecem superioridade holandesa após eliminação



Consideradas uma das favoritas ao ouro no handebol feminino, as brasileiras foram eliminadas nesta terça-feira nas quartas de final para a Holanda e deram adeus ao sonho de uma semifinal olímpica inédita. Repetindo a má atuação frente à Alemanha na fase de grupos, as brasileiras reconheceram que as falhas defensivas foram decisivas na partida.

“Não conseguimos a mesma atuação de outros jogos que foram importantes. Não paramos as arremessadoras delas e tivemos dificuldades de atacar em alguns momentos. Quando não fazíamos gol, elas desciam forte e a gente tomou gols. No final, não deu para igualar o placar”, afirmou a ponteira Alê ao SporTV após a partida.

Em despedida da Seleção Brasileira, a capitã Dara, muito abalada, também ressaltou a má partida brasileira. “Infelizmente não terminei do jeito que queria. Nosso jogo não entrou, justo no dia em que precisava entrar e era inadmissível jogar mal. A gente não acertou. O esporte é assim, um dia a gente faz bem, outro dia faz mal. A gente fez mal hoje”, pontuou.

A pivô também agradeceu ao apoio da torcida presente na Arena do Futuro e descartou uma possível pressão sofrida. “A gente vem se preparando faz tempo, sabe desde 2009 que essa Olimpíadas ia ser aqui. Jogar com essa torcida é maravilhoso, não existia pressão e sim responsabilidade de fazer bem”, acrescentou a jogadora, presente na Seleção desde Sidney 2000.

Maior pontuadora da partida com sete gols, Fernanda também exaltou o bom jogo feito pelas rivais europeias. “É difícil falar agora, a gente se preparou pra isso, mas a Holanda foi melhor o jogo inteiro. A gente ficou bastante tempo com uma a menos e elas aproveitaram todas as chances”, colocou.

Comandante da equipe brasileira, o dinamarquês Morten Soubak lamentou a apresentação e também elogiou a eficiência das holandesas. “Hoje não fluiu no ataque e na defesa. O mais forte da Holanda é o contragolpe e elas deram uma lição. Ficamos atrás do marcador o jogo inteiro”, colocou.

Em oito situações de contra-ataque, as holandesas conseguiram chegar às redes em sete vezes, enquanto o Brasil anotou apenas dois gols em contragolpes. Soubak também garantiu que continuará com seu trabalho na Seleção.

Autor: Redação Ferreguion

Tecnologia do Blogger.