Atletismo

Atletismo segue forte e Brasil se mantém no Top 5 do quadro de medalhas



Mantendo o bom desempenho, o Brasil pôde contar com os principais expoentes no quarto dia dos Jogos Paralímpicos: o atletismo e a estrela de Daniel Dias. Foram cinco medalhas conquistadas neste domingo, quadro delas nas pistas, uma dentro d’água, além de um sexta “simbólica”  no tênis de mesa, com a classificação de Israel Stroh para uma final inédita na classe 7, que será disputada nesta segunda-feira.

Os resultados deste domingo foram responsáveis por manter o Brasil na quinta colocação do quadro geral de medalhas, com 24 no total – seis ouros, 11 pratas e sete bronzes. Nas quatro primeiras posições, permanecem China, Grã-Bretanha, Ucrânia e EUA, respectivamente.

As primeiras medalhas brasileiras vieram nos instantes iniciais do dia. Petrúcio Ferreira, com direito a nova quebra de recorde mundial, algo que já havia feito nas classificatórias deste sábado, faturou a sexta medalha de ouro do país-sede na Cidade Maravilhosa, pela final dos 100 m rasos classe T47. Pela mesma prova, o também brasileiro Yohansson Nascimento ficou com o bronze.

Mais para o final da tarde e ainda no atletismo, Teresinha de Jesus e Felipe Gomes também garantiram lugares no pódio. Enquanto a primeira foi a terceira mais rápida na disputa dos 100m rasos classe T46/47, o segundo só foi superado por apenas um oponente na grande final dos 100m rasos categoria T11 – para deficientes visuais.

Para fechar o quarto dia, quando o sol já havia deixado o céu carioca, o multi-campeão Daniel Dias mergulhou nas águas do estádio aquático pra sair com a prata. O maior medalhista paralímpico brasileiro de todos os tempos conquistou a terceira medalha no Rio de Janeiro e a 19ª da carreira, pela final dos 100m peito classe SB4.

Apesar das grandes conquistas, o povo brasileiro viu Alan Fonteles decepcionar mais uma vez e não conseguir se classificar para a final da prova que o consagrou em Londres 2012. Ouro nas Paralimpíadas da capital inglesa nos 200 m rasos classe T46/47, derrotando a lenda Oscar Pistorius, ele acabou sofrendo com uma lesão e não conseguiu alcançar uma posição suficiente para brigar por medalha na edição brasileira da prova.

Autor: Redação Ferreguion

Tecnologia do Blogger.